quarta-feira, 22 de maio de 2013

Metro Quadrado em Manaus


O custo médio do metro quadrado construído no Amazonas fechou o mês de abril como 9º mais caro do País, segundo informações do Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi).


Segundo o IBGE/AM, a região Norte tem a segunda maior média nacional, de R$ 882,52 o m². “Este custo é impulsionado pela questão logística, que envolve principalmente o transporte da mercadoria, e que onera seus preços”, relata Adjalma Nogueira supervisor do IBGE/AM. Esse problema também é explicado pelo presidente do Sinduscon-Am que responsabiliza a ausência de fábricas de produtos da construção civil. Segundo Eduardo Lopes: “Temos apenas uma fábrica de cimento e pagamos R$ 28 o saco, enquanto no restante do Brasil o valor fica entre R$ 16 e R$ 18. Roraima e Acre também sofrem do mesmo problema: não produzimos os materiais utilizados em obras, como a parte elétrica, as louças, cerâmicas, revestimentos, azulejos e pastilhas. Como precisamos importar tudo isso, a logística também encarece o custo final, pois estamos distante dos polos produtores”.

Na região Norte, o metro quadrado da construção no Amazonas é o quinto mais alto, ficando abaixo de Rondônia, Acre e Roraima, Tocantins e acima de Pará e Amapá (que apresentou o metro quadrado mais baixo da região, de R$ 852,24).

O presidente do Sinduscon destacou o fato do metro quadrado amazonense ser menor que o do Estado de Rondônia, que está interligado por estrada ao restante do País, contando, portanto, com uma logística melhor. “Isso deveria fazer com que os preços lá fossem menores. Acredito que a construção das hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau puxaram os preços pra cima”, arrisca Lopes.
Além do problema logístico, o crescimento no setor de construção civil nos últimos anos e a disputa de áreas para a implantação de novos empreendimentos residenciais contribuiu para o aumento dos preços de terrenos. Com essa variação no preço do metro quadrado, as áreas a serem edificadas de Manaus aparecem entre as mais valorizadas do país. Na capital, os especialistas em imóveis estimam que o valor cobrado pelo metro quadrado atinja até R$7.500.
De acordo com Frank Souza ex-presidente do Sindicato da Construção Civil do Amazonas (Sinduscom-Am), a área de preço mais elevado em Manaus fica situada no bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul da capital. “O metro quadrado em Adrianópolis custa cerca de R$ 7.500 nos empreendimentos na região. Já na Ponta Negra, os preços no mercado variam em média de R$ 3.800 a R$ 5.600 (preço/m²). Entretanto, a média dos empreendimentos em várias áreas da capital é de 3.800 reais”.
Em Manaus as áreas mais valorizadas estão no Bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul da cidade. Os preços mais caros se encontram entre à Avenida Djalma Batista até às proximidades do Manauara Shopping. Essa zona se caracteriza por possuir a melhor infraestrutura urbana da cidade se concentrando comércio e serviços, shoppings, agências bancárias, os maiores supermercados, redes de televisão, jornais, estádio de futebol, etc., consolidando a descentralização de vários segmentos da área central da cidade. Logo em seguida vem o Bairro da Ponta Negra, na Zona Oeste considerado nobre por sua paisagem e potencial turístico e ecológico, com loteamentos de alto padrão, mas ainda com grandes extensões desocupadas. 
Outro fator que mais influência o aumento dos preços dos imóveis e terreno tem sido o desenvolvimento econômico e a  infraestrutura do bairro.
No ano passado, R$ 5,9 bilhões foram movimentados em Manaus apenas com as transações de bens imóveis. O atual mercado imobiliário promissor é avaliado pelos especialistas como ponto máximo alcançado. A tendência que vivemos é de equilíbrio nos preços na Região, podendo ainda ter um crescimento no valor do metro quadrado nas áreas de menor valor num prazo de até três anos. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário